sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Em silêncio, parafraseando Drummond de Andrade por Sara Menck




Há tantos silêncios
O silêncio do ser amante
do semelhante
do diferente
do indiferente
do oposto

Silêncio 
do adversário
do surdo-mudo
do irracional
do vegetal
do mineral
do inominado

O próprio silêncio

O silêncio da noite
dos astros
dos mortos
das ideias
do sonho
do passado
do futuro


Agora
Escolhe o teu silêncio

e

o melhor momento

ou o

“Teu melhor silêncio

Mesmo no silêncio e com o silêncio

dialogamos.”

Sara Menck em julho/2013