quarta-feira, 27 de abril de 2011

"POR UMA LINGUAGEM DE PRÍNCIPES E PRINCESAS!" por Sara Menck

“You may say I'm a dreamer” 

Muitas e muitas vezes na nossa vida, ouvimos palavras indesejáveis e, quantas  vezes, somos feridos e maltratados por elas.  Por outro lado, quantas vezes a Palavra acalma o coração, acalenta a alma e fortalece o espírito.

Mas a palavra é a expressão do pensamento e é por meio dela que mostramos quem somos.
Quando falamos, aquele que nos ouve, observa, analisa, julga...  Podemos correr o risco de ser interpretado como agressivos quando proferimos, por exemplo,  palavrões. Isso revela pobreza interior, ausência de nobreza.

 

Quando uma pessoa expressa palavras pesadas, termos pejorativos, xingamentos, ela se mostra agressiva, deixa uma impressão deselegante e, até mesmo, pode tornar-se não confiável.
Vejo que cuidar da linguagem se faz tão necessário quanto a preocupação do alimento diário, ou da aparência física.

 

O universo interior necessita do melhor alimento e ele é exercitado por meio das palavras, tanto as que recebemos quanto aquelas que oferecemos.


Mas um vocabulário complexo não se faz necessário em nosso discurso. Ao exteriorizarmos  pensamentos, tornam-se elegantes quando neles há veracidade e simplicidade. Igualmente é "deselegante" e faz mal para a construção do ser, a palavra bajuladora, mentirosa, hipócrita...




E a nossa palavra exerce uma ação sobre o outro.  Por meio dela, ensinamos, aprendemos, condenamos, criticamos, julgamos, compreendemos,  caluniamos, elogiamos, construimos, destruimos...
E a palavra é a expressão do pensamento, ainda que sejamos infelizes no dizer. E o pensamento elegante não é apenas aquele que discorre pelos âmbitos culturais e artísticos.
O pensamento elegante mostra a palavra bem elaborada em todos os contextos; revela organização de pensamento e transmite firmeza, segurança.


A palavra boa é atraente. É elegante. E isso tem muito a ver com a riqueza interior. Mas em que consiste essa força interior capaz de elevar o espírito humano?
 Consiste, também, na escolha do melhor e mais adequado discurso.

A verdade é que o homem possui o livre arbítrio. E ele vai moldar o seu espírito de acordo com as suas escolhas. E serão as palavras que irão formar, transformar, reformar, deformar o seu ser.


 Mas é preciso aprender para saber julgar e escolher bem. Ter o desejo e conhecer a necessidade de ser melhor para si mesmo. É preciso querer ser elegante no uso da língua e o elegante oferece o melhor de si. Vejo que adquirir um estilo elegante na fala supõe ser fiel a atitudes tomadas com o firme convencimento de que marquem para sempre a existência. 


Por isso, escolher a melhor palavra; aquela que encanta, que acolhe, que se faz aceita; mostrar um vocabulário simples em gestos elegantes faz parte da “roupa” que se veste no “eu” que se mostra ao outro.
Agora, é um sonho impossível desejar um mundo onde não houvesse tanta agressão vocabular?
Um poeta já imaginou um mundo melhor. Um lugar onde não houvesse violência, fome, gula, separações, divisões. E você pode me dizer que imaginar é fácil, entretanto, o difícil é realizar.

E bem verdade é isso!

Como realizar um mundo melhor com pessoas mais elegantes? A violência esta ai e deixa marcas profundas do seu terror no tempo em que vivemos.
E educar e tornar crianças como verdadeiros príncipes e princesas também é um sonho.

 Isso mudaria o mundo?

Não. O mundo está totalmente tragado pela sua violência.

 Mas não é impossível melhorar a criança que há dentro de nós, pois há muitas e belas palavras ainda a serem proferidas...  
Não somos seres únicos e nem centro e fonte do nosso discurso. Assim, a nossa  palavra pode ser lapidada para que possamos agir sobre o outro com elegância e ética e marcar essa breve existência. Somos passageiros... Um dia, partiremos...
... O poeta, do qual falamos, já passou por aqui...

Há um poeminha - desconheço a autoria - que ilustra bem isso. Ele diz assim:

                                              “Um dia, eu partirei
E onde meus pés estiveram,
Haverá um rastro;
Onde minhas mãos estiveram,
Haverá uma impressão;
E onde meu corpo esteve,
Haverá calor.
E de mim te lembrarás”.

 .................................

Se me permite,  arrisco questionar:

E como ficou o lugar em que a sua palavra esteve?

Se por um lado, tudo no mundo se acaba, tem o seu fim; por outro, o que é bom, bonito, elegante, deixa marcas profundas - também.

Sara Maria  - abril/2011
E agora, um pouco de John Lennon, só para não dizer que não falei de "Imagine"
 
...................................................................................................................................................



Imagine
Composição : John Lennon

Imagine there's no heaven
It's easy if you try
No hell below us
Above us only sky
Imagine all the people
Living for today
Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life in peace
You may say
I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope some day
You'll join us
And the world will be as one

Imagine no possessions
I wonder if you can
No need for greed or hunger
A brotherhood of man
Imagine all the people
Sharing all the world

You may say,
I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope some day
You'll join us
And the world will be as one.


Sugestões de Leitura:

SAPOS EM PRÍNCIPES  - programação neurolinguistica  - Autores: Richard Bandler e John Grinder  com tradução de Maria Silvia Moura Neto. Uma leitura para acadêmicos, ou mesmo estudantes do ensino médio.

O PEQUENO PRÍNCIPE - Autor: Antoine de Saint-Exupery - Uma leitura deliciosa em qualquer idade.
PRÍNCIPES E PRINCESAS - SAPOS E LAGARTOS - Autor: Flávio de Souza - Histórias modernas de tempos antigos, abordadas de forma divertida. - indicado para jovens - adolescentes.

O FANTÁSTICO MISTÉRIO DE FEIURINHA  - Pedro Bandeira - Uma intertextualidade com as princesas e príncipes dos contos de fadas. Uma leitura para jovens/adolescentes.

MAIS PURO QUE O DIAMENTE - J. C. De Ferrieres. Uma excelente leitura para  namorados, noivos, recém-casados.


Só mais uma "dica" - Toda criança tem o direito de conhecer as histórias infantis - sobretudo - os contos de fadas.




3 comentários:

  1. Pof: gostei muito desse texto e do poema muito bom!!o seu blog tá cada dia melhor!!beijos

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, minha querida Jayne. Bjão!!!

    ResponderExcluir